Muitas mulheres relatam ter sangramento após relações sexuais. Mas o que está por trás do chamado sangramento de escape?

 

O que significa sangramento de escape?

O sangramento de escape é uma condição que aparece quando há sangramento vaginal após uma relação sexual. Uma em cada nove mulheres no Brasil é afetada por ele. Os sintomas são muito diferentes, mas sempre resultam em manchas de sangue no lençol. O sangramento pode ser tanto leve e de cor marrom escura, quanto mais forte e com tom vermelho claro. Sua tendência varia de pessoa para pessoa, dependendo da causa. Assim como a quantidade de sangue difere, suas causas também podem ser muito diversas. Em qualquer um dos casos, é aconselhável que você consulte um médico se houver sangramento após uma relação sexual.

Quais são suas causas

As causas do sangramento de escape podem ser muito diferentes. Além da ruptura do hímen, uma infecção também pode estar por trás do sangramento. Tal infecção pode ser ocasionada por vírus, bactérias ou fungos. Por isso, sempre esteja atenta às mudanças em sua menstruação, pois elas revelam muitas informações sobre a saúde da sua vagina.

Uma inflamação no colo do útero e na vagina também são causas de sangramento. Elas podem ocorrer em virtude do ressecamento na região. Se o septo vaginal não estiver lubrificado e houver fricção na área, pequenas lesões podem se formar na membrana mucosa. Como resultado, ela poderá secretar sangue. O fenômeno do ressecamento vaginal costuma ser observado na menopausa.

O motivo mais recorrente e comum por trás do sangramento é a prática sexual. Sexo frequente ou violento pode causar irritação no tecido vaginal. Isso não só leva ao sangramento, como também ocasiona dor. Se observar a presença de sangue após o sexo, você deve investigar a causa e consultar um ginecologista, se julgar necessário.

 

Qual a relação entre o sangramento de escape e o vaginismo

Muitas mulheres que sofrem de vaginismo se acostumam com as dores causadas, mas se surpreendem quando observam a presença de sangue. Essa é uma resposta corporal que deve ser levada a sério. Como a dor aparece em primeiro plano no vaginismo, pouco se fala dos demais sintomas. O sangramento na região é o segundo sintoma mais comum em mulheres que sofrem com vaginismo. Mas como tal sangramento pode aparecer?

Nesse caso, a contração dos músculos desempenha um papel fundamental. Você começou a realizar os exercícios com o dilatador ou está tentando esticar o septo usando seus dedos? Independentemente de quais ferramentas você utilize, o sangramento poderá acontecer. No momento em que você insere um objeto em sua vagina, seus músculos se contraem. O septo fica mais estreito e se fecha como um anel ao redor do objeto ou do seu dedo. Se a membrana mucosa for friccionada, poderá causar irritação e sangramento. Se estiver em um estágio no qual não só a dor, como o sangramento também está afetando sua vida sexual, procure ajuda médica o mais rápido possível. Por meio de treinamento localizado e usando os dilatadores certos, conseguirá superar esse problema. Em meu curso on-line, você aprenderá como usar corretamente os dilatadores vaginais e perceberá que dores e sangramentos não fazem parte de uma vida sexual saudável.